TRANSPORTE

Doria pede que setores empresariais suspendam faltas de trabalhadores

15/03/2017

O prefeito João Doria pediu para o setor empresarial não descontar as faltas dos funcionários que não conseguiram chegar aos seus postos de trabalho, devido à greve de algumas categorias. Desde a manhã desta quarta-feira (15), 2,5 milhões de passageiros de transporte coletivo foram prejudicados pela paralisação.

"Eu faço um apelo aos empresários e empregadores do município de São Paulo para que perdoem a ausência dos seus profissionais no dia de hoje. Estou acompanhando desde cedo e vi muita gente nos terminais de ônibus e metrô esperando o transporte. Gente responsável que queria ir trabalhar e não conseguiu chegar. Os protestos podem acontecer, têm legitimidade, é democrático, mas não com prejuízo da população", disse Doria.

Por conta a paralisação, a Secretaria Municipal de Transportes montou uma operação especial durante todo o dia para amenizar os transtornos sofridos pela população. As faixas exclusivas para ônibus, que estavam liberadas para os carros até as 12h, já voltaram a operar conforme a legislação em vigor. O rodízio municipal de veículos e a Zona Azul continuam suspensos.

Desde a tarde desta terça-feira (14), um Comitê Operacional liderado pelo secretário municipal de Transportes, Sérgio Avelleda, com a coparticipação dos secretários municipais Wilson Pollara (Saúde), Alexandre Schneider (Educação), Marcos Penido (Serviços e Obras) e Bruno Covas (vice-prefeito e Prefeituras Regionais), está mobilizado para acompanhar toda a movimentação na cidade e tomar medidas imediatas.

Balanço 

Os serviços de Saúde serão normalizados ao longo do dia. Até as 12h, a variação do número de funcionários que não conseguiram chegar aos seus postos de trabalho na rede municipal de Saúde foi de 15% a 30%.

Já na área da Educação, 814 unidades funcionaram parcialmente até as 12h e outras 528 não tiveram atividade. Excepcionalmente nesta quarta-feira, os servidores que não conseguiram chegar aos seus postos de trabalho não terão o dia descontado.

Até as 12h, 87% da frota de ônibus estava em funcionamento. Durante a manhã, as linhas do subsistema local (miniônibus), que atendem estações do Metrô, tiveram seus itinerários estendidos para estações da CPTM ou pontos mais próximos do Centro.

Percentual da frota em operação, por faixa horária:

- 0h às 8h: 40% 

- 8h40: 45,6%

- 9h: 46,3%

- 10h: 61%

- 11h: 85%

-12h: 87%

 

O Paese foi ativado pela SPTrans para dois trechos do Metrô: 

- Linha 1-Azul (entre Jabaquara e Sé)

- Linha 3-Vermelha (entre Barra Funda e República)

 

Multa:

O Tribunal Regional do Trabalho havia determinado que 100% da frota de ônibus circulasse na cidade de São Paulo, sob pena de multa de R$ 300 mil. Em outra decisão, a 13ª Vara da Fazenda Pública obrigou a manutenção de, no mínimo, 70% da frota circulando. A multa por descumprimento é de R$ 5 milhões por hora.

A SPTrans já está tomando as providências necessárias para que os termos da liminar concedida na tarde desta terça-feira sejam cumpridos, diante do desatendimento por parte do Sindicato dos Motoristas quanto à decisão judicial que obrigava a operação dos ônibus nesta quarta-feira.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER!
NOME: EMAIL:
Enviar