SAÚDE

Corujão quer resolver fila para exames mais complexos

06/10/2017

A Prefeitura de São Paulo vai lançar a partir de novembro a segunda fase do programa Corujão da Saúde. Desta vez, o objetivo é resolver a fila de 83.322 procedimentos mais complexos e demorados como, por exemplo, aqueles que requerem sedação. Na primeira fase do programa, foram priorizados os exames baseados em imagem, como ultrassonografias e tomografias, cuja fila era de 485,3 mil exames.

Atualmente, os pacientes que entram na fila destes procedimentos mais complexos esperam, em média, 120 dias para agendar os exames. Com a implantação da segunda fase do Corujão, esse tempo cairá pela metade e normalizará a rotina da atual espera da regulação municipal, para um tempo médio igual ao da rede privada.

"Esta fase aborda exames que, muitas vezes, precisam de preparação com o paciente internado e, na maioria delas, essa preparação dura até 24 horas. Ficaram para esta etapa por conta de sua complexidade e pelo fato da dificuldade de encontrarmos prestadores. Agora, temos condições de resolver isso", afirmou Wilson Pollara, secretário da Saúde.

A segunda fase contemplará os seguintes exames:

· Prova de função pulmonar completa

· Teste ergométrico

· Colonoscopia

· Monitoramento pelo sistema Holter

· Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial

· Estudo urodinâmico

· Nasofibrolaringoscopia

· Esofagastroduodenoscopia

Um quarto dos procedimentos serão realizados na mesma rede de hospitais privados do Corujão fase 1. Os exames serão realizados, em sua grande maioria, na própria rede municipal de saúde, mas alguns deles serão contratados de particulares. A remuneração seguirá os valores da tabela do Sistema Único de Saúde (SUS). O custo estimado desta fase é de R$ 6 milhões.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER!
NOME: EMAIL:
Enviar