SAÚDE

Concluída fase de fundações e alicerces do Hospital da Brasilândia

05/06/2016

Irene Beatriz/Siurb

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A obras do Hospital da Brasilândia, na zona norte, já tiveram concluída a fase de fundações e alicerces. O equipamento, que terá no total 42 mil metros quadrados de área construída, começa a ganhar sua primeira laje. Quando estiver pronto, o novo hospital municipal contará com 250 leitos e beneficiará 410 mil pessoas na zona norte da Capital.

No total, o hospital recebe investimentos de R$ 209,4 milhões e deverá aumentar a quantidade de leitos hospitalares da região em 125%. Oferecerá pronto-socorro adulto e pediátrico com quatro salas de emergência, 39 leitos de observação e 40 leitos de UTI. A população terá atendimento em clínica médica, clínica cirúrgica, anestesistas, ortopedia, ginecologia, neonatologistas, ambulatório adulto e pediátrico, além de centro cirúrgico, três salas de obstetrícia, centro de diagnóstico e salas de emergência.

A construção tem previsão de conclusão no primeiro semestre de 2017. As obras receberam ordem de serviço em junho de 2015. Atualmente, os blocos A, B e C (dois pavimentos) estão em andamento, e o Bloco D (dois pavimentos) aguarda a conclusão de desapropriações. O terreno, localizado na estrada do Sabão com a avenida Michihisa Murata, receberá também uma estação da futura linha 6 – Laranja do metrô, sob responsabilidade do governo estadual.

O hospital é esperado pela população da região há mais de 20 anos. A estrutura está dividida da seguinte maneira: os blocos A e B, com oito e dez pavimentos, respectivamente, abrigarão atividades administrativas e hospitalares, como espaços para internação, centro cirúrgico e diagnóstico e hospital-dia. O bloco C, com dois pavimentos, receberá o pronto-socorro, e o bloco D, também com dois pavimentos, abrigará áreas técnicas como a central de geradores, equipamentos de refrigeração, reservatórios, resíduos, ar condicionado, gás medicinal e subestação.

O novo hospital terá aquecimento solar como complemento do aquecimento central e armazenamento de água de reúso para as descargas e conservação dos jardins. O projeto prevê ainda aproveitamento de iluminação natural, com janelas amplas. Imagens da perspectiva arquitetônica estão disponíveis na internet.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER!
NOME: EMAIL:
Enviar