OPINIÃO

Enfim uma boa notícia

04/06/2018

Nesses tempos bicudos, de greves, carestias, ameaças, impaciências, polarizações e outras turbulências, nada melhor do que uma boa notícia para atuar como bálsamo. Refiro-me à volta de Neymar à Seleção Brasileira.

Puxa, com o Brasil em turbulência e você só pensa em futebol??? Há de se indignar o leitor tão impaciente quanto patrulheiro. Há lugar e local para tudo e para todos. Dito isto, vamos então ao futebol.

A apresentação da Seleção Brasileira contra a Croácia, no domingo, não foi de encher os olhos. Também não foi decepcionante. Às vésperas do começo de uma Copa do Mundo nenhum jogador , em condições normais de consciência, vai querer se expor.

Assim, se jogos amistosos já são, por definição de sua própria denominação, mais uma festa, uma exibição do que uma competição, não se podia mesmo esperar muito do jogo. Mas a volta de Neymar era aguardada com ansiedade. E o nosso craque maior não decepcionou.

Foi logo deixando sua marca num gol bem ao seu estilo, ele que não é de marcar gols comuns, corriqueiro, fez um golaço. Sua presença também deu novo ânimo e nova cara ao futebol apresentado que mudou radicalmente do primeiro para o segundo tempo.

Nossa Seleção apresentou alguns problemas, como, principalmente, a dificuldade de saída de bola da defesa. Nada que Tite não possa sanar nesses 15 dias até à estreia. Enfim, Neymar está de volta e ainda tem tempo para se recuperar fisicamente.

Estamos no caminho certo.

Veja como foi:

https://youtu.be/PG-o5lspRho

 

Massacre do Rubronegro

Os corintianos devem colocar as mãos para os céus e agradecer: o 1 a 0 do Flamengo ficou de bom tamanho. Foi pouco, muito pouco pelo futebol apresentado pelo time do técnico Osmar Loss.

O futebol sem brilho e sem inspiração com certeza deixa os torcedores apreensivos. Na quinta-feira, na vitória sobre o América, 1 a 0, o Timão já havia apresentado esse joguinho opaco e só ficou na vitória graças ao bom desempenho do goleiro Valter.

Aliás, no gol do Flamengo, ontem, o Valter fez excelente defesa. Pena que os zagueiros não estavam atentos no rebote. Já o atacante Vizeu estava ligadíssimo e fez o gol.

Fora de campo, belo espetáculo da torcida do Flamengo que tem comparecido para incentivar: foram quase 45 mil pagantes, bom número para os dias de hoje.

 

Tempo para respirar

Dois técnicos ganharam ar e respiraram após a rodada do fim de semana. O primeiro foi Roger Machado, do Palmeiras, com a vitória, de virada, sobre o São Paulo, no sábado.

O Verdão saiu de campo ao final do primeiro tempo sob sonora e impiedosa vaia. O time jogava mal e perdia por 1 a 0. Mas o ratinho acuado que foi para o vestiário voltou um leão bravo e esfomeado. Virou o jogo, 3 a 1, e viu as vaias se transformando em aplausos frenéticos.

Roger ganhou mais tempo, mais ar e os torcedores ganharam esperança

O outro técnico foi o também jovem e ameaçado Jair Ventura que via o seu time, o Santos, patinando no lodaçal da Zona do Rebaixamento. O Vitória é um time fraco. Tanto assim que é o 17º colocado. Mas o Santos foi cruelmente exuberante. Sem dó nem piedade, mandou 5 a 2.

Com destaque para o garoto Rodrygo com seus três gols. Com apenas 17 anos, 1,73 metro de altura, 63 quilos, o garoto de Osasco é mais uma das intermináveis criações da fábrica de talentos santista.

 

Veja os gols do Fantástico:

https://youtu.be/7qATSHKqOxw

Mário Marinho
Artigo escrito por Mário Marinho

Mário Marinho é jornalista esportivo com atuação no Jornal da Tarde, nas TVs Gazeta, Bandeirantes, Record e Cultura e nas rádios Eldorado, Gazeta, Record, Nove de Julho e Atual. É autor dos livros: "Paulo Marinho, uma reportagem biográfica", e "Velórios Inusitados".

Veja todos os artigos deste autor »
ASSINE NOSSA NEWSLETTER!
NOME: EMAIL:
Enviar