OPINIÃO

Arrancada do Tricolor

01/06/2018

Para quem viveu o ano passado quase todo sob a ameaça de rebaixamento, o São Paulo dá verdadeiro pinote na sua vida para a felicidade de seu torcedor.

O técnico do São Paulo é discreto, calado e parece que o único pecado que cometeu até hoje foi não cumprimentar o ex-técnico do Corinthians, Fábio Carille, que ficou amuado, fez beicinho e até se mandou lá para as lonjuras da Arábia Saudita em busca, não de pessoas mais educadas, porém de montão de dinheiro.

Mas, voltemos ao São Paulo. É o único time invicto no Brasileirão e já conta com 11 jogos sem conhecer o amargo sabor da derrota. Mais do que isso: o time começou a jogar bem e a encantar sua torcida.

A vitória sobre o Botafogo, nesta quarta-feira, foi espetacular e pode realmente significar uma nova era do Tricolor. Até duas semanas passadas discutia-se a contratação de Diego Souza, qual a sua real posição e até mesmo o que ele fazia no Morumbi. De repente, desandou a fazer gols e gols incríveis como o de ontem, de peito.

E aí o trio atacante formado por ele, Nenê e Everton foi o responsável pelos gols da vitória, 3 a 2, sobre o Botafogo e por diversos outros lances que fizeram a torcida vibrar.

 

Dilema Verde

Lá no belo Mineirão, que tem belos horizontes em sua paisagem, o Palmeiras seguiu sua gangorra que ameaça transformar-se num plano inclinado com escorregadia descida. Perder para o Cruzeiro não é nenhum desastre futebolístico ou ambiental. Longe disso. Mas, são três jogos seguidos sem vitória.

E nesses três jogos – empate com o bravo América, derrotas para o Sport, em casa, e ontem para a Raposa – em nenhum momento o Verdão apresentou futebol convincente. Em nenhum momento perdeu por causa do juiz, de um possível péssimo gramado, aguaceiro, canícula saariana ou a presença de algum disco voador. Nada, nada. Todos os maus resultados decorrentes de seu mau futebol.

A cada dia que passa, o palmeirense vai acreditando mais e mais que, de fato, o dinheiro não traz felicidade.

 

Seleção na reta final

Neste domingo, a Seleção Brasileira faz seu penúltimo amistoso até a estreia na Copa da Rússia, no próximo dia 17, às 15 horas pelo horário de Brasília. O jogo será contra a Suíça, adversário sempre chatinho de bater.

Vejo o jogo com otimismo. E crescente otimismo ao ler nos jornais de hoje que Neymar terá condições de jogar 60 minutos. Essa é uma boa notícia não só para o jogo de estreia, mas, com também para a sequência da Copa.

Depois de três meses parado, o craque volta com gás para uma hora. Tá de bom tamanho.

 

Os Favoritos

Para qualquer Copa do Mundo, tanto a de 2018 como a de 2098, os favoritos são Alemanha, Brasil, Inglaterra, Espanha, Itália (que não está nessa) e Argentina. Não necessariamente nessa ordem.

Pelo menos são esses os favoritos que aponto em artigo na revista colegial (e digital) “Poder” (https://www.flipsnack.com/F67D655C5A8/n-mero-01-ft90b5slu.html).

Mas, em entrevista ao Estadão, o técnico da Inglaterra, Gareth Southgate, foi mais preciso que eu.

Ele crava Alemanha e Brasil.

Sobre nossa Seleção, ele diz: “O Brasil é muito forte, está estabelecido num esquema 4-3-3, possui jogadores excepcionais individualmente e também é muito forte defensivamente”.

Eu assino embaixo.

 

Veja os gols da rodada:

https://youtu.be/m7dy126xOSM

 

Mário Marinho
Artigo escrito por Mário Marinho

Mário Marinho é jornalista esportivo com atuação no Jornal da Tarde, nas TVs Gazeta, Bandeirantes, Record e Cultura e nas rádios Eldorado, Gazeta, Record, Nove de Julho e Atual. É autor dos livros: "Paulo Marinho, uma reportagem biográfica", e "Velórios Inusitados".

Veja todos os artigos deste autor »
ASSINE NOSSA NEWSLETTER!
NOME: EMAIL:
Enviar