OPINIÃO

Nossa nem tão velha Seleção

17/05/2018

Sempre atento como foi ao longo de sua brilhante carreira no inesquecível Jornal da Tarde, o eterno repórter Vital Bataglia manda-me o seguinte alerta, a respeito do comentário sobre a Seleção Brasileira em minha última coluna:

Mário,

A idade média do time titular do Tite é de 28,2 anos.

Time velho demais.

Os campeões têm entre 25,8 a 26,2.

Abraços

VBattaglia

Resolvo ir à procura de informações sobre nossas seleções do passado. Vejo que a Seleção campeã do Mundo de 1958 tinha idade média de 25,5 anos. Já a bicampeã em 1962, no Chile, pulou para 27,3. O brilhante time de 1970 foi o mais novo de todos: 24,5 anos. No copa de 1994, nos Estados Unidos, média de 26,5. Em 2002, ano do penta, tivemos também idade média de 26,5 anos.

É verdade, portanto, o que disse o Battaglia: as seleções brasileiras campeãs do Mundo eram mais novas que nosso time atual. Mas, daí a considerar velho o time do Tite vai uma distância enorme.

Vamos fazer comparações.

Em 1962, o goleiro titular foi Gilmar, com 32 anos; nosso goleiro de hoje, Alisson, tem 25.

A linha de zagueiros de 62 teve Djalma Santos (33), Mauro (32), Zózimo (30) e Nilton Santos (37 anos).

Convenhamos, uma defesa bem experiente, com média de 32,8 anos de idade.

A zaga brasileira hoje pode ter Fagner (29), Thiago Silva (33), Marquinhos (24), Miranda (33) e Marcelo (30). Aqui também temos bastante experiência : 34,8.

No meio campo, em 1962, tivemos Zito (30), Didi (34) – era época que se jogava no 4-2-4. Média de idade: 32 anos. Atualmente temos: Paulinho (29), Casemiro (26), e William (29). Média: 28 anos.

O ataque de 62 foi formado por Garrincha (29), Amarildo (22), Vavá (28) e Zagalo (31). É bom lembrar que Pelé, de 21 anos, contundiu-se no segundo jogo, contra a Checoslováquia, e ficou fora da Copa. Média do ataque que jogou: 27,5.

Nosso ataque atual vai de Neymar (26), Gabriel Jesus (21) e Philippe Coutinho (25). Média do possível ataque para a Copa da Rússia: 24.

Vejam só que interessante, caríssimo Battaglia e demais e sempre bem vindos amigos leitores, no cômputo geral de idades, a média da Seleção de 1962 é de 27,3; a de 2018 é de 28,2.

Entretanto, ao escalarmos o time titular de 1962 e o time base de hoje, temos a Seleção de 2018 mais jovem que a de bicampeã no Chile.

Lá no Chile, a idade média dos jogadores que efetivamente jogaram foi de 30,5. Já os possíveis titulares de 2018 têm a média de 28,9 anos.

Teoricamente, portanto, temos um time mais novo que o de 1962.

Dizem que os números não mentem jamais. Pero si, pero no acredito que eles levam a enganos. Nada, porém, tão dramático.

 

Números & números

Vamos mais à frente com os números que tanto fizeram a alegria do matemático carioca Júlio Cesar de Mello e Souza, mais conhecido como Malba Tahan . Veja a média de idade dos jogadores da seleção brasileiranas Copas do Mundo

 

1930 – 24,9 anos

1934 – 23,5 anos

1938 – 24,7 anos

1950 – 27,4 anos

1954 – 25,8 anos

1958 – 25,5 anos

1962 – 27,3 anos

1966 – 26,7 anos

1970 – 24,5 anos

1974 – 26,3 anos

1978 – 25,5 anos

1982 – 26,9 anos

1986 – 27,1 anos

1990 – 26,7 anos

1994 – 26,8 anos

1998 – 27,8 anos

2002 – 26,8 anos

2006 – 28,3 anos

2010 – 29,3 anos

2014 – 28,2 anos

2018 – 28,1 anos

 

Em 1962 a média de altura da nossa seleção foi de 1,77 metro; hoje, é de 1,80.

Mais uma curiosidade. Pelé que sempre pareceu um gigante em campo e fez inúmeros gols de cabeça, tinha apenas 1,73 metro de altura. Apenas 4 centímetros a mais que o baixinho Romário. Romário, que por sua vez, era 4 centímetros mais alto que Leônidas da Silva, o Homem Borracha, o Diamante Negro, artilheiro que popularizou e fez muitos gols de bicicleta e tinha 1,65 de altura.

 

Verdão foi bem

Foi boa, sim, a exibição do Palmeiras na noite de ontem, pela Libertadores. Venceu o Junior Barranquilla por 3 a 1, garantiu a melhor campanha de todos nesta fase da competição, o que lhe dará o direito de realizar o segundo e decisivo jogo das próximas fases sempre em casa. Os três gols foram marcados pelo emburrado Borja que, de mal da torcida, não comemorou nenhum deles. Vejam a cara fechada dele na foto ao alto.

No primeiro tempo o Palmeiras foi apenas discreto, mas deslanchou no segundo tempo.

No Rio, o Flamengo também se classificou.

Pela Copa do Brasil, o Galo Mineiro do Gilberto Mansur empatou com a Chapecoense e acabou desclassificado nos pênaltis. Já o Cruzeiro da Maria Helena Eterovick venceu o Atlético Paranaense, em Curitiba, 2 a 1 de virada.

 

Veja os gols da quarta-feira: https://youtu.be/zhfiBd9_o50



 

Mário Marinho
Artigo escrito por Mário Marinho

Mário Marinho é jornalista esportivo com atuação no Jornal da Tarde, nas TVs Gazeta, Bandeirantes, Record e Cultura e nas rádios Eldorado, Gazeta, Record, Nove de Julho e Atual. É autor dos livros: "Paulo Marinho, uma reportagem biográfica", e "Velórios Inusitados".

Veja todos os artigos deste autor »
ASSINE NOSSA NEWSLETTER!
NOME: EMAIL:
Enviar