OPINIÃO

A bola está rolando

17/04/2018

Com a boa média de 3 gols por jogo, a bola do Brasileirão começou a rolar nesse fim de semana. Nosso Brasileirão é um dos mais difíceis campeonatos nacionais do mundo.

Calma lá, meu amigo. Eu não disse um dos melhores, porém dos mais difíceis, dos mais disputados. É possível apontar pelo menos 10 candidatos potenciais ao título.

Vamos falar de favoritos.

 

Minas comparece com Atlético e Cruzeiro, embora ambos tenham sido vencidos na primeira rodada (a honra mineira foi salva pelo valoroso América, meu Coelho, líder do Brasileirão).

Rio de Janeiro tem Flamengo, Vasco, Botafogo e Fluminense.

São Paulo aponta o campeão Corinthians, o Palmeiras, o Santos e o São Paulo (mais pela tradição do que pela competência atual).

Rio Grande do Sul tem a dupla Grêmio e Internacional.

Aí está uma dúzia de times com bom potencial.

É claro que podem surgir zebras tanto para conquistar o título como cair para a série B.

A primeira rodada teve a média de público de 13.955 pagantes, com mais de 100 mil torcedores assistindo aos primeiros oito jogos da rodada que será completada com mais dois nesta segunda-feira.

O maior público da rodada foi na vitória do Corinthians sobre o Fluminense, 28.777 pagantes. O menor, na vitória do Vasco sobre o Atlético: 6.349 pagantes.

No começo da temporada do ano passado, o Corinthians era apontado como a 4ª força do futebol paulista. Acabou campeão estadual e campeão brasileiro.

Começou bem a temporada do ano: já conquistou o título paulista.

Conquistou também bela vitória sobre o Fluminense, 2 a 1, com destaque para o potiguar Rodriguinho (foto ao alto da coluna), 30 anos de idade, que alcançou projeção nacional depois de duas ótimas temporadas no América mineiro.

Foi duas vezes convocado para a Seleção Brasileira, sem maiores chances, e volta a ter o seu nome falado agora que estamos a um mês da convocação definitiva do técnico Tite.

A lembrança de seu nome não se deve apenas aos dois gols marcados contra o Fluminense, mas aos oito já marcados este ano pelo Corinthians, mesmo sem ser o centroavante tradicional.

Jogando como meia, Rodriguinho marcou quatro gols nos últimos três jogos do Timão, contra o São Paulo, Palmeiras e, agora, Fluminense.

Está realmente num fase espetacular. Mas, embora o tempo seja curto, o caminho até à Seleção ainda é longo.

Muito embora perder para o Grêmio não seja humilhação para ninguém, não deixa de ser surpreendente a derrota do Cruzeiro para o Grêmio, no mesmo Mineirão onde foi campeão estadual há uma semana, numa bela vitória sobre o Atlético.

No Rio, o Vasco virou em cima do Galo mineiro que começou com belo gol do competente lateral Otero, no jogo de menor público da rodada.

O Atlético Paranaense não teve dó da Chapecoense: 5 a 1 no maior placar da rodada. Rodada que começou no sábado, com a vitória do Santos sobre o Ceará, 2 a 0.

Esses foram os vencedores da rodada que não apresentou grandes surpresas.

Vai mudar. Vai mesmo?

 

Terça-feira foi é dia de eleição na Confederação Brasileira de Futebol. Foi eleito o candidato único Rogério Caboclo, 45 anos, advogado e administrador de empresas.

É um nome relativamente nome no esporte, embora já esteja atuando junto à atual diretoria da CBF há pelo menos dois anos.

Seu sobrenome é bastante conhecido no futebol paulista. Rogério é filho de Carlos Caboclo que foi respeitado diretor de futebol do São Paulo nos anos 1970/80 e sempre teve forte atuação junto à Federação Paulista de Futebol.

Mas, segundo o esquisito estatuto da CBF, a eleição pode ser realizada até um ano antes da posse. Na prática, significa que Caboclo foi eleito, mas Marco Polo del Nero continuará como o presidente.

Presidente que não viaja para o exterior, pois teme ser preso se sair do Brasil, já que teve seu nome envolvido em escândalos da Fifa.

Rogério Caboclo será o chefe da delegação brasileira na Copa da Rússia.

Matinée dansante


Em sua sede social, no Jardim America, o Club Athletico Paulistano vae dar hoje uma “matinée dansante, comemorativa da grande vitória alcançada no Rio de Janeiro pelo “team de football” que, vencendo o Fluminense, conquistou o título de campeão brasileiro.

A velha e distincta sociedade á qual se filiam os melhores elementos da alta camada social verá, com certeza, seus lindos salões repletos e animados de uma estonteante alegria. A matinée de hoje, vae certamente, ser a “nota” do domingo.

(Notícia publicada no Estadão do dia 14 de abril de 1918)

Veja os gols da rodada ( E OS TAIS CAVALINHOS ) :

https://youtu.be/TMHHd1GSJq4

Mário Marinho
Artigo escrito por Mário Marinho

Mário Marinho é jornalista esportivo com atuação no Jornal da Tarde, nas TVs Gazeta, Bandeirantes, Record e Cultura e nas rádios Eldorado, Gazeta, Record, Nove de Julho e Atual. É autor dos livros: "Paulo Marinho, uma reportagem biográfica", e "Velórios Inusitados".

Veja todos os artigos deste autor »
ASSINE NOSSA NEWSLETTER!
NOME: EMAIL:
Enviar