OPINIÃO

Mula manca!!

31/03/2017

“Pouco se me dá que a consorte do muar claudique. O que eu aspiro é acicatar-lhe as ilhargas”

Na escola, quando um menino engraçadinho recitava esse poemeto para uma menina romântica, os olhinhos sonhadores dela, se enchiam de brilho. Nem de longe ela imaginava que na tradução para o português de beira de estrada, essas doces palavras não passavam daquele velho ditado “não me importo que a mula manque. O que eu quero é rosetar”.

Pode ser que o nosso roliço presidente da Câmara dos Deputados tenha se inspirado no exemplo acima para chamar de “Lista Pré-Ordenada”, a malvista Lista Fechada que os políticos querem aprovar, achando que mudando as palavras, o eleitor engoliria melhor o sapo.

E o que é a tal Lista Fechada?

Ela funciona assim, ó: por eleição interna do partido ou por determinação de seu líder, uma lista de nomes é elaborada e o eleitor só vota no partido. Os nomes que estão nessa lista, provavelmente os que a encabeçam, são os políticos que vão nos representar. (Representar?)

Alguns países do mundo adotam esse sistema que pode ter lá alguma vantagem, tipo o eleitor fica sabendo de antemão, quais candidatos, possivelmente, serão eleitos, assim como os seus suplentes.

Porém, o candidato tem de ser o cachorrinho amestrado do partido e aceitar suas imposições. Mesmo que ele tenha opinião diferente sobre esse ou aquele assunto, tem de votar como manda o figurino.

Mas dos males, até que esse é o menor. O buraco disso aqui no Brasil, é bem mais embaixo! Isso seria uma manobra para garantir o Foro Privilegiado, e que portanto, alguns políticos que estão mais sujos do que pau de galinheiro, poderiam continuar cantando de galo livremente em seus terreiros!

Já dá pra saber que isso não pode prestar, pela opinião do Ministro do Supremo Tribunal Federal, Luis Roberto Barroso, que declarou: “é mais democrático para o eleitor”!

Como assim, Ministro? Não é mais democrático cada um escolher o nome de sua preferência e votar nele? O que tem de democrático votar num nome escolhido pelo partido?

Como diz a Senadora Ana Amélia Lemos, “isso tira o direito do eleitor de escolher o parlamentar de sua preferência. A reforma eleitoral deve moralizar o sistema e não usar manobras que inibam a renovação na política”.

Se votando com o modelo atual, já elegemos tanta gente que ajuda a engrossar a lista de suspeitos do Janot, imagina, eleger um candidato escolhido pelo partido!

Aliás, se esse projeto for aprovado, a Lista Fechada pode até mudar o nome para Lista de Procurados!

Até o FHC que outro dia boquirrotou que Caixa 2 não é lá um crime tão horrível como o diabo pinta (nessa quarta, voltou atrás. Agora diz que é crime, sim senhor) é contra a Lista Fechada. Em vídeo publicado em sua página, ele criticou os partidos políticos brasileiros e disse que eles “andam muito mal das pernas”.

Ele defende uma Reforma Eleitoral mas com outros termos, como a proibição de coligações entre os partidos, porque quando eles se juntam ninguém sabe mais em quem está votando: “você vota num e acaba elegendo outro”.

Portanto senhor Rodrigo Maia, não adianta ficar enfeitando o pavão e mudar o nome da lista. Fechada ou Pré-Ordenada, como quer o senhor, não é o que o eleitor quer. Nesse momento, o que todos queremos é que políticos que devam, que paguem, e não que se escondam atrás de uma lista.

Pouco se nos dá que a consorte do muar, ou o próprio muar, claudique. Nós queremos é rosetar, ou melhor, votar!

Vera Vaia
Artigo escrito por Vera Vaia

Jornalista e professora. Paulista, residente em Jundiaí. Em 1982 criou um caderno feminino num jornal local, que existe até hoje. "Estilo", caderno de variedades que sai aos domingos no Jornal de Jundiai.

Veja todos os artigos deste autor »
ASSINE NOSSA NEWSLETTER!
NOME: EMAIL:
Enviar