EDUCAÇÃO

Paulistanos dão nota baixa para o ensino público

10/04/2015

A educação pública na cidade de São Paulo é vista pelos paulistanos como o segundo serviço mais importante, atrás apenas de saúde, mas segue avaliada com baixa satisfação pela população. Os dados são da pesquisa anual Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município (IRBEM), encomendada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) em parceria com a Rede Nossa São Paulo e realizada pelo IBOPE Inteligência. 

A pesquisa mostra que a satisfação com a educação pública obteve nota média de 4,5, a mesma de 2013 e a pior da série histórica, seguindo trajetória de declínio. A área ficou em 15º no ranking de satisfação composto por 25 grupos. 

Dentro dos itens citados pela pesquisa na área de educação, a satisfação quanto ao acesso ao ensino superior de qualidade ficou em 4,6, enquanto a percepção sobre o respeito, valorização e reconhecimento aos profissionais de educação atingiu 4,1. Ambas registram as menores notas da série histórica. 

A satisfação dos moradores com a quantidade de vagas em creches, pré-escolas e escolas em locais próximos a sua moradia ficou estável em 2014, com média de 4,3. A região Norte 2, que compreende os distritos de Anhanguera, Brasilândia, Cachoeirinha, Casa Verde, Freguesia do Ó, Jaraguá, Limão, Perus, Pirituba e São Domingos, teve resultado ainda menor, de 3,6. E a segunda pior avaliação, com 4,1, é a região Sul 2, que compreende os distritos de Campo Limpo, Capão Redondo, Cidade Ademar, Cidade Dutra, Grajau, Jardim Angela, Jardim São Luis, Marsilac, Parelheiros, Pedreira, Socorro e Vila Andrade. 

A pesquisa mostra também que mais a avaliação dos entrevistados sobre a qualidade dos serviços de educação se manteve acima da média, que é de 5,5. Porém, a maioria das pontuações caiu em comparação à pesquisa de 2013. Foi o caso da qualidade das creches (de 7,3 para 7,1), da educação infantil (6,8 para 6,7), do ensino fundamental (de 6,5 para 6,4) e da educação de jovens e adultos (de 6,7 para 6,2). Tiveram melhora nas notas os itens educação especial (de 6,0 para 6,6) e o ensino médio (de 6,4 para 6,5). 

 

A pesquisa IRBEM 2014 foi realizada de 24 de novembro a 8 de dezembro de 2014. Foram entrevistados 1.512 moradores com 16 anos ou mais. O intervalo de confiança da pesquisa é de 95% e a margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER!
NOME: EMAIL:
Enviar