CIDADE

Abrigo emergencial pode receber 460 moradores de rua

19/07/2017

Secom

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Prefeitura de São Paulo inaugurou nesta quarta-feira (19) um abrigo emergencial de inverno para moradores de rua. O espaço poderá receber até 460 moradores, sendo 400 homens e 60 mulheres, divididos em seus espaços por sexo, e será administrado pela Igreja Adventista.

A unidade foi equipada com beliches, colchões, travesseiros e cobertores novos e irá funcionar diariamente das 19h às 8h. No local, os conviventes também terão acesso a banheiros equipados com chuveiros com água quente, vasos sanitários adequados e local para refeições (jantar e café da manhã), seguindo o modelo das unidades de Atendimento Diário Emergencial (ATENDE) implantadas recentemente na região da Luz.

"Tomamos a decisão de implantar esse serviço anteontem e em 48 horas viabilizamos esse espaço, ampliando o programa de apoio às pessoas em situação de rua no inverno que já estava previsto", disse o prefeito João Doria.

Segundo o secretário especial de Investimento Social, Cláudio Carvalho, a ideia é que o espaço passe por reformas após o inverno e possa receber mais uma unidade do Centro Temporário de Acolhimento (CTA) futuramente. "O serviço deverá funcionar inicialmente por 40 dias, com esse prazo podendo ser prorrogado nas próximas semanas de acordo com a temperatura", disse.

Secom

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Paralelamente, a Prefeitura realizará ações emergenciais para distribuição de cobertores, roupas e alimentação. Apenas no primeiro dia, foram entregues mais de mil cobertores durante a madrugada desta quarta-feira.

A implantação desse equipamento emergencial conta com o apoio de empresas da iniciativa privada como a Itaúsa e o Magazine Luiza, que doaram cobertores, a Souza Cruz, com a doação de beliches, a Unilever, com a doação de kits de higiene pessoal, a Puket, que doou meias, a RC Nutry, que doou as refeições, e a Eurobras, que disponibilizou contêineres que serão utilizados na triagem (chegada dos conviventes) e também receberão alguns banheiros.

Água fria – Na manhã desta quarta-feira a rádio CBN informou que moradores de rua foram acordados com jatos de água fria na praça da Sé durante a madrugada, quando a temperatura na capital estava em torno de 8ºC. De acordo com a rádio, eles foram expulsos do local por uma empresa contratada pela prefeitura para limpeza do espaço. 

À reportagem da CBN, o prefeito regional da Sé, Eduardo Odloak, afirmou que vai apurar o que aconteceu. Segundo ele, as equipes de limpeza são orientadas a sempre abordar os moradores de rua antes de começar a limpeza.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER!
NOME: EMAIL:
Enviar